A Cia

A Companhia desenvolve uma pesquisa de signos e valores contemporâneos para criar um conjunto de conceitos que representem a forma do homem contemporâneo brasileiro se relacionar com a realidade. O resultado dessa pesquisa é expressar estas referências (signos e valores) nas montagens de textos clássicos, cujos pontos de reflexão são a essência do sentimento humano que atravessa as questões temporais.

Com isso, a Companhia quer contribuir positivamente para o entendimento do homem contemporâneo, expor nossas formas de relacionamento e entendimento da realidade, e criar um desenvolvimento cognitivo amplo.

Pesquisar a comunicação e a linguagem atual, que possuem aspectos inacabados, gera uma estética nova e instigante para o trabalho da Companhia.

O paradoxo entre tradição e contemporaneidade é o nosso diferencial. A Companhia vem se destacando no cenário carioca, não somente como formador de artistas, mas principalmente de seres humanos em sua plenitude. Nossa filosofia de trabalho implica no desenvolvimento do ser humano nos níveis criativo, intelectual e afetivo, que são valores indispensáveis à cidadania.

Esse movimento só pode acontecer dentro de uma comunidade colaborativa cidadã. No teatro chamamos isso: companhias de teatro. Portanto a proposta do nosso trabalho é resgatar as antigas estruturas das companhias de teatro existentes no Brasil no início do século vinte. O resgate não significa um trabalho arqueológico, mas fazer uma releitura dessas estruturas buscando aplicar nos dias de hoje seus valores e conceitos.

No período de 1910 a 1940, a organização teatral brasileira era dominada pelas companhias de teatro. Nestes núcleos foram formados atores como Oscarito, Grande Otelo, Derci Gonçalves entre tantos outros. Eles começaram suas carreiras nos grêmios recreativos dos bairros. Nesse período, quase todos os bairros do Rio de Janeiro possuíam seus grêmios associativos, lugar onde pessoas de outras profissões desenvolviam atividades artísticas teatrais de forma amadora.

O que pretendemos neste resgate é contribuir para um mundo melhor através de nossas montagens, nas quais procuramos discutir a realidade atual, seus problemas e suas virtudes.

Um modelo de trabalho é o usos do novo conceito de "performance", que permite aos diretores usarem a linguagem com liberdade.

Para alcançar este objetivo, a Companhia de Teatro Contemporâneo adquiriu uma sede, onde desenvolve uma série de atividades que possibilitam a todos os que quiserem experimentar um ambiente de uma companhia de teatro do Rio de Janeiro e vivenciarem as mudanças que pretendemos.